Você conhece a arteterapia?

Para que a aprendizagem aconteça, é necessário um ambiente que permita o indivíduo explorar, conhecer e associar

Da Redação | Foto: Carlos Rincon | Adaptação web Caroline Svitras

Segundo Bianca Acampora, doutora em Ciências da Educação e especialista em Metacognição, a arteterapia melhora a perspectiva de aprendizagem, pois propicia, por meio de diferentes formas de expressão artística, os desequilíbrios e reequilíbrios e a interação com os sujeitos e com o meio. Explorar, conhecer e associar, então, aos poucos se tornam imprescindíveis na construção de habilidades como: classificar, seriar, ordenar, incluir, analisar, sintetizar, entre outros que são de suma importância para a construção de conceitos futuros no Ensino Fundamental e Médio.

 

De acordo com a teoria de Jean Piaget, quando estimulamos a criança a descobrir o conhecimento por si própria, fazendo uso da assimilação e acomodação, estamos possibilitando que este permaneça com ela. Além disso, temos um conceito de aprendizagem mais amplo, com situações desafiadoras, que provocam desequilíbrios e reequilíbrios e ajudam na interação com o meio e com outras pessoas. “A arteterapia, ao permitir o contato com seu mundo inconsciente, pode auxiliar a criança no processo de aprendizagem, visto que ajudará o professor a descobrir as potencialidades a serem desenvolvidas e as dificuldades a serem transformadas”, ressalta Bianca.

Para conferir na íntegra garanta a sua revista Guia Prático do Professor – Educação Infantil Ed. 163 aqui!

Adaptado do texto “Arteterapia na sala de aula”