Vamos cuidar dos bichinhos

Incentive a criançada a fazer a sua parte em prol dos animais abandonados

Da Redação | Fotos: entreopassadoeofuturooagora.blogspot.com.br / Carlos Ricon

A estimativa de uma pesquisa realizada pela OMS (Organização Mundial de Saúde), em 2014, alerta para a existência de mais de 30 milhões de animais abandonados no Brasil. Desses, 10 milhões são gatos e 20 milhões cachorros. E essa situação alarmante se dá, principalmente, pela falta de respeito das pessoas que os abandonam com centenas de desculpas: cresceram demais, mudança de residência, a chegada de um bebê, alergias ou por conta de gastos e trabalho.

 

Mas essa realidade pode ser mudada. Como? Com um forte trabalho de educação da população e prioridade política pela causa. A Holanda é um exemplo disso. Sem nenhum tipo de sacrifício ou apreensão dos animais em canis, o país europeu conseguiu o título de primeiro do mundo sem nenhum cachorro vivendo nas ruas.

 

Esta façanha faz parte de um plano do governo baseado em quatro pilares: leis duríssimas para quem abandona os cães, com multas que atingem a casa dos milhares de euros, campanhas de castração e conscientização, além de altas taxas de imposto para quem compra cachorros de raça. Mas mesmo não sendo um país, cada um com suas pequenas ações pode ajudar num animal e fazer a sua parte. Veja como:

 

Primeira etapa

Para se fazer algo pelos animais, antes de tudo é preciso gerar empatia, amor, senso de cuidado. Algumas crianças têm esse exemplo vindo de casa ou mesmo de suas personalidades, mas outras não. Por isso, é preciso mostrar aos pequenos a oportunidade que é poder conviver com um animal e todas os benefícios dessa relação. Se a escola tem uma mascote, isso ajuda bastante, mas caso não, que tal, solicitar que em algum dia estipulado, individualmente, algumas delas possam trazer seus animais domésticos? Se isso não for possível o professor pode mostrar vídeos que mostrem momentos dessa relação do ser humano com os animais ou mesmo um desenho animado.

 

Segunda etapa

Numa roda de conversa troque ideia com os alunos que têm animais em casa, pergunte o nome deles, como eles devem ser cuidados, o que já fizeram de engraçado, o que gostam nesses animais etc. As crianças que não possuem podem ser questionadas se já tiveram contato com esses animais e serem instigadas a falarem sobre isso. Estimule a pensarem se os animais precisam apenas de água e comida ou se eles necessitam de outras coisas como amor, cuidados, vacinas, carinho, espaço pra brincar, atenção etc.

 

Terceira etapa

Proponha aos alunos construírem potes de ração e de água que podem ser colocados na rua da escola a fim de ajudar um pouco esses animais abandonados. A escola e as famílias podem se unir para comprar a ração e manter o recipiente sempre cheio e limpo e ajudar com campanhas de castração e doação dos animais que conseguirem ter algum tipo de contato durante esse período. Veja como fazer esses recipientes:

Para ler mais, garanta a revista Guia Prático do Professor – Educação Infantil nas bancas ou clicando aqui.