Quebrando a cabeça com o pai

Para uma data de comemoração, crianças produzem um jogo com foto para uma pessoa especial

Da Redação | Foto: Fernando Pereira/Orianna Alves | Adaptação web Caroline Svitras

No segundo domingo de agosto, é comemorado, no Brasil, o Dia dos Pais. A origem dessa data – contam – veio da Babilônia, onde, há mais de 4 mil anos, um jovem chamado Elmesu moldou em argila o primeiro cartão em que desejava sorte, saúde e longa vida a seu pai.

Porém, a institucionalização desse dia se oficializou somente em 1909, nos Estados Unidos, onde Sonora Louise, que perdeu a mãe muito cedo e junto a seus cinco irmãos foram criados pelo pai, resolveu criar um dia dedicado à figura paterna, motivada pela admiração que sentia pelo seu pai, William Jackson Smart. O interesse pela data se difundiu da cidade de Nutbush para todo o Estado de Washington e tornou-se uma festa nacional. Mas apenas em 1972 foi oficializada.

Hoje, em muitos países, o Dia dos Pais se tornou uma data comemorativa e, embora, muitas pessoas a veem como um incentivo ao consumismo, as escolas trabalham esse momento como uma forma de valorizar a figura do pai, a importância da família, e estimulam a criatividade dos alunos, que produzem com carinho um presente para seus pais.

Revista Guia Prático do Professor – Educação Infantil Ed. 133