Hora de comer!

Projeto trabalha com os pequenos ensinando como se alimentar de forma saudável

Da Redação | Fotos Carlos Ricon | Adaptação web Isis Fonseca

Hora de comer

A infância guarda processos intrínsecos do desenvolvimento humano, em especial a maturação biológica, que conta com a atividade de alimentar-se como fonte de nutrientes para a realização de suas funções vitais: crescimento, movimento, reprodução etc. Neste sentido, as experiências nutricionais das crianças neste período, tendem a formação dos seus hábitos alimentares, que poderão acarretar consequências positivas ou negativas à saúde.

Atualmente milhares de crianças têm problemas associados à alimentação desencadeando doenças como obesidade e doenças crônicas não transmissíveis. Neste contexto, a temática alimentação saudável é requerida desde a mais terna idade, por isso, a Educação Infantil, desempenha papel fundamental na formação de valores, hábitos e estilos de vida, entre eles o da alimentação.

Principalmente quando imbui na sua proposta uma educação nutricional desafiando as crianças no oferecimento de novas experiências em relação às refeições com qualidade de vida e cidadania, sendo sua concretização responsabilidade compartilhada pela família e escola.

Pensando nisso, a Creche Municipal Vivendo a Infância, com seus professores e a professora Karla Wanessa Carvalho de Almeida, criaram o projeto hora de comer, em 2014, no município de Jaqueira-PE, envolvendo 8 turmas da Educação Infantil de 1 a 3 anos de idade.

As atividades consideraram hábitos alimentares regionais salubres as crianças, estimulando o consumo de alimentos in natura, produzidos em nível local, integrados à cultura da região e de alto valor nutritivo, como frutas, legumes e verduras, grãos integrais, leguminosas, sementes etc.

Interdisciplinaridade

A interdisciplinaridade das atividades visou ao fortalecimento de espaços dialógicos, mobilizantes e fortalecedores dos eixos temáticos do Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil, que estrutura de forma flexível a proposta da instituição, adequada em seu bojo às especificidades da comunidade local.

Logo, seguindo estes princípios, o projeto pretendeu criar um elo com a família para juntos combaterem alimentos industrializados nocivos à saúde, e para concretude balizou suas ações na tríade: ações de estímulo à adoção de hábitos alimentares saudáveis, ações de apoio à adoção de práticas saudáveis por meio da oferta de uma alimentação nutricionalmente equilibrada no ambiente escolar e ações de proteção à alimentação saudável junto à família.

Problemática

A problemática da alimentação nutricional emergiu a partir das observações realizadas pelas professoras durante o momento do lanche. As lancheiras dos pequenos mostravam o consumo excessivo de guloseimas e alimentos industrializados: salgadinho, refrigerante, pipoca, chocolate, e outros componentes da indústria de guloseimas.

Refletindo as facilidades da vida moderna em um município pobre e com presença de agricultura de subsistência. Esta constatação gerou enorme preocupação com a alimentação nutricional, instigando a instituição na busca por proposições de mudanças, a fim de ensinar às crianças a importância de uma alimentação equilibrada, e boas escolhas nutricionais.

Primeira fase

Ao diagnosticar o problema enfrentado pela Creche Vivendo a Infância quanto à ausência de uma alimentação saudável e nutricional por partes de suas crianças. Os professores da instituição reuniram-se e traçaram estratégias que imbuíssem novos hábitos alimentares nas crianças, contudo um desafio seria bem maior, as modificações pretendidas deveriam alcançar de imediato os pais.

Segunda fase

A primeira atividade interdisciplinar realizada, foi uma roda de conversa sobre a temática junto aos pais/responsáveis, onde foi pedido aos pais que em grupo montassem pratos com recortes de alimentos que julgassem serem refeições saudáveis e também realizadas por eles em casa para os filhos. Essa atividade foi muito proveitosa, após 10 min de preparação dos pratos, os pais socializaram suas montagens, e juntos puderam identificar alguns erros e ausências, bem como também acertos, neste contexto foi apresentado o projeto: Hora de Comer! E lançaram o desafio:

Quem topa modificar seus hábitos alimentares, a fim de garantir que seu filho experimente novas possibilidades de alimentos saudáveis? Com o apoio de todos que estavam presentes, o projeto entrou em ação, as atividades junto às crianças e outras concomitantes com os pais, começaram.

Terceira fase

No dia seguinte a conversa com os pais, levantamos os conhecimentos pérvios das crianças por meio de uma roda de conversa e exposição de imagens de alimentos para leitura e identificação de preferencias e recusas.

Para endossar a identificação das características da alimentação dos pequenos e de sua família foi realizada a confecção de quadro: O que comemos? Com lista de alimentos ingeridos no café da manhã/lanche/almoço/janta, tendo a professora como escriba.

Com esta atividade, acrescida de pesquisa junto aos pais, efetuada com questionário de múltipla escolha sobre os alimentos mais consumidos no lar, as professoras criaram mapas hipotéticos dos hábitos alimentares das famílias de cada criança da sala.

Quarta fase

Os dados coletados nestas atividades serviram de base para a elaboração de uma palestra com a nutricionista do município a fim de ajudar os pais na combinação de alimentos, alertá-los para a ingestão de vitaminas e sais minerais e onde encontrá-los nos alimentos etc.

Quinta fase

A próxima atividade realizada com as crianças foi uma visita à feira livre da nossa cidade, onde as crianças conheceram verduras, legumes, raízes e frutas in natura, observaram formatos e cores dos mesmos.

Esta visita despertou muita curiosidade pelos alimentos que antes não conheciam, por este motivo foi confeccionado um álbum de alimentos com as seções de grãos, raízes, frutas, legumes e verduras, e isso contou com muita pesquisa em livros de recorte, uma verdadeira aventura alimentar.

A atividade foi realizada em conjunto: neste sentido, os pequeninhos de 1 e 2 anos ficaram com um álbum somente de imagens, enquanto os de 3 anos fizeram a escrita do nome de cada alimento.

Sexta fase

Para fixar a classificação dos alimentos foi construído um jogo da memória junto com as crianças. As professoras levaram as imagens fotocopiadas e com tags de identificação, cada criança coloriu conforme a cor do mesmo. Depois recortaram e brincaram seguindo as regras do jogo. Ao encontrar o par a professora o  indagava: que alimento é esse? É fruta? Verdura? Etc.

Sétima etapa

A atividade seguinte do projeto contou com a degustação de alimentos. Assim, ao chegarem à escola as crianças foram recebidas em suas salas com uma grande mesa onde tinha exposto amostras de alimentos, para esta atividade procuramos selecionar aqueles presentes no álbum e no jogo da memória. Alguns chagaram a provar, mas a grande maioria ficava só olhando.

Quando todas as crianças chegaram – ou a grande maioria! – as professoras apresentaram a mesa e seus componentes e lançaram o desafio: vamos experimentar todas? Então houve um longo processo de apresentação e experimentação de sabores, e neste processo as crianças diziam se gostavam ou não, se era doce, azedo etc. Algumas resistiam, mas as professoras incentivaram-nas fazendo da amostra um fantoche com palavras de incentivo.

No final da atividade todas as crianças tinham, pelo menos, experimentado de três a cinco alimentos diferentes. Aqueles alimentos que foram mais recusados foram separados, para posterior trabalho. Aqueles que mais se destacaram como gostosos alcançando o título de gostosos foram selecionados para uma atividade de experimento, as crianças foram então levadas à cozinha da Creche e tiveram a oportunidade de observarem a transformação de alimentos em outros com a cozinheira que preparou uma deliciosa vitamina mista com banana, maçã e mamão e um suco de laranja.

Oitava etapa

Após a degustação da vitamina e do suco todos voltaram à sala de aula e assistiram ao vídeo: Se alimentar bem é bom! 

Nona etapa

A próxima atividade desenvolvida com as crianças foi carimbagem, com carimbos feitos de batata, chuchu e cenoura, e em seguida houve o trabalho com a paródia retirada da internet: eu sou forte:

EU SOU FORTE, FORTE, FORTE,
DE MARRE, MARRE, MARRE,
COMO FRUTAS E VERDURAS,
TOMO LEITE COM CAFÉ.

Após cantarem a música as crianças maiores identificaram as vogais, letras iniciais do próprio nome em cartaz e fizeram a ilustração da música.

Décima etapa

A próxima etapa do projeto foi a realização de um piquenique coletivo entre pais e filhos na academia da cidade do município. Neste piquenique os filhos e os pais, em casa, deveriam montar um lanche saudável a ser compartilhado.

Esta vivência de troca de experiências entre pais e filhos e entre famílias foi extremamente rica. Para descontrair, as professoras prepararam uma caixa surpresa para com que os olhos vendados pais e filhos identificassem frutas, verduras e legumes através do olfato, tato e paladar.

Fechamento

Confecção de um livro de registro com as fotos das atividades vivenciadas em sala, ilustrações, cartazes utilizados, depoimentos realizados com os pais sobre o projeto a fim de expor na feira pedagógica desenvolvida pela Secretaria Municipal de Educação de Jaqueira.

Adaptado de Revista Guia Prático do Professor – Educação Infantil Ed. 155

Tenha acesso a atividades novas e criativas assinado a Revista Guia Prático do Professor – Educação Infantil!

hora-de-comer

Hora de comer