Educação Física com bambolês

Veja algumas das opções possíveis de se trabalhar com esse objeto

Fotos: Divulgação | Adaptação web Caroline Svitras

 

Segundo Ronaldo de Oliveira Alberto, professor de Educação Física no Colégio Scaranne, cada criança possui características próprias, com significados que são constituídos aos poucos, de acordo com as necessidades, os interesses e as possibilidades corporais. Por meio de brincadeiras com bambolês, as crianças irão se expressar corporalmente. E essa expressão corporal tem uma significação muito peculiar e importante.

 

“Com sua espontaneidade e característica, a criança revela por meio de seu corpo tudo o que sente. As habilidades corporais vão aos poucos se aperfeiçoando de modo natural e espontâneo e seu pensamento lógico busca compreender causas e consequências para melhor se expressar. Conforme executa os movimentos, aumenta o controle, tornando-os mais precisos e coordenados”, diz ele. Nesse sentido, o professor explica que cabe à escola incentivar os movimentos, tornando maior o aprendizado das crianças sobre si mesmas e sobre os outros, havendo, assim, interação com o mundo que a rodeia.

 

Veja as atividades propostas por Ronaldo e que você também pode trabalhar com os seus alunos:

 

Passando o bambolê de mãos dadas

 

Com uma roda formada por alunos de mãos dadas, o aluno deverá passar o bambolê para o amigo ao lado utilizando a cabeça e as pernas, não podendo soltar as mãos para ajudar. Para que essa atividade se desenvolva bem, o primeiro passo é utilizar a cabeça para dentro do bambolê, passando pelo corpo e, após, sair de dentro utilizando as pernas. Ao passar para o amigo ao lado, ele deverá fazer o mesmo procedimento até dar a volta pela roda. Poderá dificultar a brincadeira colocando outros bambolês na roda.

 

 

Corrida dos bambolês

 

Posicionar os alunos lado a lado em uma linha de marcação. Cada aluno com seu bambolê deverá, ao sinal do professor, lançá-lo para frente para que corra até a linha de chegada. Após, o professor poderá mudar a atividade em que o bambolê corra para frente e volte ao seu lugar, como um “vai e volta”. Para que isso aconteça, o aluno deverá, ao lançar o bambolê, dar uma “puxadinha” para trás e soltar.

 

Amarelinha com bambolê

 

Distribuir os bambolês no chão formando um caminho. Formar uma fila com os alunos. Nessa atividade, eles deverão passar para o outro lado ora pulando, ora saltitando dentro de cada bambolê.

 

Duplas com bambolê

 

Formar duplas e distribuir um bambolê para cada uma. Com as mãos dadas, os alunos deverão girar o bambolê.

 

Adaptação do texto “Bamboleando”

Revista Guia Prático do Professor – Educação Infantil Ed. 132