Cada um tem a sua família! Diversidade familiar para crianças

Como falar sobre essa diversidade familiar e fazer com que as crianças e fazer com que as crianças valorizem isso. Os animais podem ajudar nessa tarefa...

Foto: Fernando Pereira | Adaptação web Caroline Svitras

 

Cada vez mais as famílias têm sido compostas de maneiras diversas, são mães chefes de família, casais homossexuais adotando crianças ou mesmo avós exercendo a função de pais. Nesse sentido, como as escolas devem tratar essa questão? Elas sabem conduzir esse assunto? Segundo Mary Rangel, doutora em Educação pela UFRJ e com pós-doutorado na área de Psicologia Social, pela PUC-SP, atualmente, há um esclarecimento maior sobre essa questão. Já existem mais informações e uma conscientização sobre os fatores que envolvem essas estruturas.

 

“Observa-se também um movimento em favor da superação de preconceitos e estigmas que causam, sobretudo, muito sofrimento, especialmente às crianças, caso sejam vítimas de processos de exclusão. Nesse mesmo movimento, a aceitação das diferenças está sendo valorizada”, comenta ela. Nesse sentido, veja as dicas de Mary sobre como a escola pode trabalhar esse tema, cada vez mais em debate, com atividades práticas e bom-senso.

 

 

Como a escola deve lidar com a diversidade familiar de seus alunos?

Segundo Mary Rangel, o que caracteriza o ser humano é o sentimento de humanidade. O que caracteriza a proposta da Educação é a formação humana. Portanto, o sentimento de humanidade faz parte dessa formação e inclui, necessariamente, a sensibilidade para o acolhimento, a compreensão, a solidariedade. É então, dessa forma, com esses sentimentos e atitudes, que a comunidade escolar pode compreender, sem preconceitos, discriminação e exclusão, as diferenças.

 

 

 

Revista Guia Prático do Professor – Educação Infantil Ed. 135