Como não dar chance para o bullying se manifestar na sala de aula

Como não dar chance para ele se manifestar começando pela Educação Infantil

Foto Carlos Rincon

Inserir-se em um grupo não é uma tarefa tão fácil para todas as pessoas, principalmente na escola. De acordo com Simone da Silva Viana, professora da Universidade Estácio de Sá, a criança divide a atenção da professora com os seus colegas de classe, assim como divide o brinquedo, o lugar ao lado de determinado amiguinho e os espaços escolares. Os conflitos surgem, e a agressividade pode aparecer como consequência. Mas, segundo Simone, nem sempre a agressividade está ligada a um desvio de conduta, da mesma forma que nem todas as brigas existentes entre os alunos podem ser caracterizadas como bullying.

Ela explica que a partir dos três anos, as crianças começam a se identificar como um indivíduo diferente do outro, sendo possível que uma criança seja alvo ou vítima de bullying. Preveni-lo, ainda na Educação Infantil, é uma medida importante, para evitar futuros sofrimentos como o isolamento e também queda no rendimento escolar, além de traumas que podem alterar os traços da personalidade. Desenvolva ações de solidariedade e de resgate de valores de cidadania, tolerância, respeito mútuo entre alunos, professores e família. Essa é uma ação importante na formação de cidadãos conscientes e humanizados ao mundo que pertencem. Isso pode ser feito, estimulando a criança a elaborar diversas atividades, como:

Quadrinhos de valores: histórias em quadrinhos, ilustrações, murais, que tenham como tema “valores para a vida e na vida” (amizade, amor, afeto, verdade, justiça, serenidade, compreensão etc.).

Caixa mágica: confecção de uma caixinha “caixa mágica” com palavras que sugerem gentileza, afeto, amizade, respeito, tolerância etc. Essas palavras podem ser escritas pelo professor e ilustradas pelas crianças.

Escola e o bullying: segundo Ana Regina Caminha Braga, especialista em educação especial e em gestão escolar, a escola precisa trabalhar e se desenvolver para que a tomada de consciência aconteça de modo geral, desde a equipe pedagógica, o administrativo até os discentes. Por isso, devemos estar atentos para detectar o processo e trabalhar em prol dos alunos vitimizados pelo Bullying. Essa mobilização talvez seja uma alternativa para diminuir tal sofrimento. Cabe também ao núcleo escolar proporcionar aos alunos a participação em feiras culturais, exposições, diálogo com outros colegas e assim por diante, deixando-os mais à vontade no meio.

Jogo da memória: jogo da memória elaborado pelo professor com atitudes que devemos ter para evitar o bullying.

Guia Prático do Professor – Educação Infantil| Ed. 155