Apresente o tangram às crianças

Desenvolva o raciocínio matemático de seus alunos de forma lúdica e artística

Da Redação | Fotos: Itaci Batista | Adaptação web Caroline Svitras

Diz a lenda, que um monge chinês deu uma tarefa a seu discípulo, pediu que ele percorresse o mundo em busca de ver e relatar todas as belezas existentes, assim, deu a ele um espelho para que pudesse registrar o que encontrasse. Muito descuidado, o discípulo deixou o espelho cair, esse então, dividiu-se em sete pedaços de diversas formas. Com isso, ele notou que poderia construir todas as maravilhas do mundo.

 

Essa é uma das histórias que se conta sobre o início do tangram, que é muito conhecido também como um quebra-cabeça ou como “7 tábuas da sabedoria”. É formado por cinco triângulos, um quadrado e um paralelogramo. Segundo a Enciclopédia do Tangram, é possível montar mais de 1700 figuras com as sete peças.

 

O tangram é um instrumento bastante utilizado nas aulas de Artes, mas seu uso pode ser bastante interessante nas aulas de Matemática. Uma das partes que compõe essa ciência é a Geometria e as formas; e uma das maneiras de se trabalhar esse tema e preparar a criança para raciocínios matemáticos mais complexos é por meio de brincadeiras lúdicas como é o caso do Tangram.

 

De acordo com a Marilene Lima, mestre em Educação, psicóloga e coordenadora da Edukaleidos Consultoria, em seu artigo “Matemática Lúdica – O Uso do Tangram”, o trabalho com o quebra-cabeça deve iniciar visando a exploração das peças e a identificação das suas formas. Logo depois, passa-se à sobreposição e construção de figuras dadas a partir de uma silhueta. “Durante todo esse processo, a criança precisa analisar as propriedades das peças do tangram e da figura que se quer construir, detendo-se ora no todo de cada figura, ora nas partes. A filosofia do tangram é de que um todo é divisível em partes, as quais podem ser reorganizadas em um outro todo, como a própria concepção de Malba Tahan sobre a Matemática”, comenta.

 

Por isso, nesta edição, a professora Glauce Rossi Quilici, escritora do blog propôs trabalhar essa ferramenta no desenvolvimento da Matemática com os pequenos.

Revista Guia Prático do Professor – Educação Infantil Ed. 108