A linguagem corporal do professor

Como suas expressões e postura em sala de aula podem motivar seus alunos

Fotos: Itaci Batista | Adaptação web Caroline Svitras

Você já parou para pensar em como está a sua postura dentro da sala de aula? De que maneira pode se tornar um professor melhor, que atraia e mantenha a atenção dos seus alunos? As crianças não entendem o professor apenas pelas palavras proferidas, mas também por todos os movimentos que o corpo produz – que transmitem linguagens e emoções.

 

De acordo com o especialista em Linguagem Corporal e Detecção de Mentira Sergio Senna, o domínio competente da linguagem corporal é fundamental para os professores em qualquer nível ou modalidade de ensino. “Saber utilizar gestos, expressões faciais e a postura corporal ajuda a influenciar positivamente o comportamento dos alunos”, explica e reforça que a linguagem corporal também é excelente para expressar emoções e o interesse pelas atividades e pelas pessoas.

 

Senna comenta que a utilização das técnicas não verbais, além de necessária, é muito útil, principalmente nos primeiros contatos com uma turma nova, pois alguns alunos podem não estar naturalmente interessados nas atividades que lhes serão propostas. “Para esses alunos, o interesse pessoal do professor na proposta pedagógica será a sua principal motivação, o que perceberão muito mais pela linguagem corporal do que pelo que lhes for dito”, afirma.

 

 

Adaptado do texto “O que um corpo faz o outro sente”

Revista Guia Prático do Professor – Educação Infantil Ed. 108